sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Ho-ho-ho


Olá moçada, como vai o animo? Devo dizer que os meus andam bem apesar dos pesares! Como previa, não consegui passar na universidade que eu desejava por motivos óbvios: vim de uma escola horrível e um ano de cursinho não foi o suficiente! Mas, desistir jamais, somos bravos! Fiquei revoltada, vou confessar, chorei, sai correndo no desespero, me chamei de inutil, mas algumas vezes é preciso deixar a corrente levar pra não se afogar sabe? Isso já disse uma das pessoas que eu mais respeito, Cris. O que essas provas me provaram? Que eu ainda não estava preparada, mas eu vou estar pode crer! Ano que vem eu vou chegar na sala, olhar bem pra cara daquela prova, encarar mesmo entende? E então vou dar um tapa na cara dela, mostrar quem manda, mostrar que desde a ultima vez que nos vimos eu evolui muito, e que agora ela quem deve me temer. Vou fazer minha hora! Pra todos que lerem isso e também infelizmente não tenham conseguido passar, eu so tenho uma coisa a dizer, tente outra vez! Algumas vezes você precisa aceitar o fato que não deu certo, parar de nadar contra a corrente e deixar ser levado...era pra ser assim. Não me peça para escrever um livro de auto-ajuda, isso não é auto-ajuda mesmo! Raulzito já disse isso há muito tempo e eu repito novamente: Tenha fé na vida, tente outra vez! E eu mesma digo isso a muito tempo: o jogo so termina quando acaba. O jogo ainda não acabou.

2010 chegando hein...puts.
Passou rapido ou é impressão minha? Caralho, outro dia era meu aniversário! (Falando nisso, quero meus presentes em fevereiro) Enfim pessoas, só passei pra dar o ar da minha graça (não ria) e desejar um Feliz Natal e toda aquela coisa melosa de final de ano ;D



Meu natal não foi um dos melhores, vamos torcer por um ano novo melhor! Só pra falar que eu não to deixando a desejar com esse blog, prometo que antes do final do ano (mesmo que falte 5min) eu postarei algo descente, informativo, instrutivo, enfim, algo bão sô.

Beijos pessoas felizes, espero que ano que vem seja ainda melhor! Ah e lembrem-se: O jogo ainda não acabou, não pense como o final de um ano, pense como um recomeço de um ciclo! A vida não para. Feliz vida!

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Kabuki


Desta vez falarei do teatro japones, conhecido como Kabuki.

Em termo de arte no Japao, o teatro kabuki foi um dos mais importantes, pois assim como os tipos de forma artistica japonesa, ela usava pessoas, representanado sua realidade cotidiana, ficçao, fantasia, e etc.
Ainda na era Meiji, o japao passa do feudalismo, para uma civilização industrializada, com publicos europeus e americanos, conhecendo a arte e a cultura japonesa, entretando, ele encontrariam toda essa tradiçao, apartir do kabuki, que abordava varios temas, ate mesmo surreais.
Uma de suas caracteristica, é a variedade de cores e a importancia que elas trazem. Deparamo-nos com o cenarios e ficamos pasmos, mais ainda quando surgem os atores, com a marcante maquiagem branca, vestes coloridas, rica em afeitos visuais de extremo exagero, infelismente para assistir um bom espetaculo só é possivel no Japão, ou esperando festivais de companhia kabuki no territorio.
KA - BU - KI ou melhor cantar - dançar - representar, os espetaculos sao descontraidos, dedicado a qualquer publico, tem o objetivo de contagiar o publico, sendo grosseiro, gentil, elegante, vulgar, dentro outros aspectos.
Apos mais de 300 anos do antigo costume japones, a continuaçao do kabuki, apenas da-se por herança familiar dos atores. A criaçao do kabuki, veio de influencias do teatro nô, do Bunraku (teatro de marionetes) e do ryogen, passou-se entao a definir-se com caracteristicas diferentes.

Mulher e homem - Papel.


No inicio, apenas mulheres eram atrizes de kabuki, portanto, vestiam-se como homens, para apresentaçoes. Devido a este fato, provocou escanda-lo, muito dos interesses dos homens nesta epoca, era a beleza das mulheres e entao o 'okuni-kabuki" passou a ser proibido pelo governo; Okuni dava-se ao exagero no sensual e no sensacional, colocando a imoralidade da sociedade, amante do materialismo e coisas mundanas.
Na era Genroku (sec. XVII) surgiu o "Wakashu-kabuki" formado por rapazes novos, que tornou-se proibido tambem.
O que vemos hoje, é o verdadeiro kabuki, formado apenas por homens, cujas maiores caracteristicas eram transformar-se em mulheres, era uma especializaçao, a beleza de "Onnagata" o comportamente de uma mulher, apesar de todo o exagero, era natural do pensamento do homem, é uma caracteristica apenas do Japao, apesar do teatro europeu e da inglaterra na idade media, tambem vestir-se de mulher, mas foi marcada no Japao.

Maquiagem - O personagem.

O que chama atençao nos artistas kabuki, é a maquiagem forte usada, marcando os olhos, com contornos vermelhos, a boca e os cilios. tudo gira em torno de simbologias que representa o que é o personagem, sua personalidade e temperamento.
"o branco a mulheres jovens e com amor, o vermelho a ira e a furia, o azul e o preto aos viloes, os verdes ao visitantes e espiritos diabolicos, o cinza a melancolia"
nao só o rsoto, mas a vestimenta tambem é multicor. Tudo torna-se atraente. os movimentos sao ageis, feito com altos niveis de perfeiçao, tanto em danças e na movimentaçoes de pés.
O "mie" é uma pose conduzido por um só ator, outras pelo grupo todo, quando tem que expressar ira ou outro sentimento de emoçao forte. Os braços estendidos, dedos rijos, dando impressao de força concentrada, pode ate ser estranho, mas é o que forma as expressoes do Kabuki.

O kabuki nao temia o governo, pois como eram feitos por pessoas comuns e para publicos comuns, nao se preocupava em agradar-lo, ate mesmo interpretavam alguns guerreiros, imperadores, nobres, etc em forma de sarcasmo e ironia.
Por um repertório popular. alguns sao comoventes, como pessoas de classes pplebéia mostrando seus sonhos e problemas. alguns interpretavam amores proibidos, mostrando o suicidio que logo foi proibido pelo governo, tendo semelhança a romeu e jullieta.
assim dentro da era Genroku, o kabuki perdeu sua fama, dando espaço para o Bunraku, pois o fortalecimento dos dramaturgos no bunraku foi imenso, isso puxou a atençao do publico, enfim, o kabuki deixou-se sua gloria, ate o periodo de restauração Meiji

Apos a queda do xogunato Tokugawa, o Japao foi aberto para o ocidente, com o fim dos samurais e das duras regras que exercia no pais ao isolamento do Japão. os atores entao, passaram a trabalhar para reerguer sua fama.
na segunda guerra, muitas casas de kabuki foram destruidas e a ocupaçao americana proibiram as casas das artes japonesa, tanto o kabuki, como bunraku, casas das gueixas, e de pinturas.
apenas em 1947, as apresentaçoes recomeçaram.

O Kabuki hoje


Os atores de kabuki mais famosos, ate fazem papeis na tv e no cinema por ser bom, assim como Bando Tamasaburo V, um dos mais conhecidos por interpretar mulher, shichinosuke nakamura (dos irmaos nakamura) que fez um papel importante no filme americano "o ultimo samurai", e outros atores.
Ontem e hoje, o kabuki tem de buscar influencias do mundo atual para poder transforma-lo.

Abraços!
priscila

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

The Cranberries no BRASIL!!!

Finalmente o esperado!
Depois de a Dolores, agora a banda completa, ira apresentar-se no Credicard Hall.
com quatro shows marcados para janeiro e fevereiro, primeiro eles vao para o rio de janeiro e depois vem o brasil. enfim os sortudos que puderem ir no show, consulte o site www.ticketmaster.com.br,
podem adquirir o espaço VIP que esta entre 300 reais por ai ou na plateia normalmente que esta na base de 100 por ai, infelismente minha carteira de estudante jaera e ainda nao tenho mais de 50!!!



(desabafo - cara eu quero ir!!! )

Exposição fotográfica "Kenji Ota"


16 de dezembro – a exposiçao continuara todos os dias ate domingo 17 de jan de 2010

Onde:
Sesc Santana - Avenida Luiz Dumont Villares, 579 - Santana - São Paulo - SP
Sociedade para Integração BUNKYO

O Sesc Santana apresenta a exposição do fotógrafo Kenji Ota com entrada gratuita.

Com trabalhos voltados para a fotografia experimental, Kenji utiliza-se de diferentes suportes e materialidades.

Mergulhado na tradição oriental, sua produção evidencia a valorização do acaso e destas experimentações na prática fotográfica.

Informações: (11) 2971-8700 / email@santana.sescsp.org.br

para quem nao sabe Kenji Ota é professor de fotografia da universidade mackenzie e senac.
Graduado em filosofia pela Faculdade de Filosofia da Universidade de São Paulo em 1980 e Mestre em Artes pela ECA/USP.
Kenji Ota pesquisa porcessos alternativos na fotografia seja no tipo de suporte, seja no processo de revelação, ou mesmo no modo de captação da imagem.

confiram!
abraços

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Minas



ê beleza, minas neste fim de ano é linda!
é a cidade que mais gosto depois de sampa e por isso decidi postar alguma coisa a respeito dessa grandiosa cidade.

bom nada mais nada menos que o segundo estado mais populoso do brasil, onde tem o maior ponto rural, com todo a beleza arquitetonica que há, ainda do seculo XVIII.

seu desenvolvimento agricola, sao os que mais avançam com produção de cana-de-açúcar, café, soja, milho, abacaxi, cebola, feijão e banana. Na pecuária, os maiores desempenhos são da bovinocultura de corte, suinocultura, avicultura e a produção de leite

o que mais me chama atençao sao os campos, cheios de montes, ate mesmo o sol que nao me atraia, la eu gosto.
varios sitios arqueologicos




Fernanda Takai (pato fu) - simplicidade