quinta-feira, 31 de março de 2011

Organização na Coleção - As arvores do Rock

Então cada um tem suas manias, eu como um pouco colecionadora, tem manias retardadas de organização, pode cre que eu detesto bagunça em coleção, é por isso que eu digo que gosto de guardar CDs seguindo sua historia dentro da musica, por exemplo. Cds do Black sabbath esta junto de Cds do Dio e que por sinal esta junto com os do Cds do Ozzy, cujos por ali tambem acharam Heaven and Hell. Os do Deep Purple há por exemplo Whitesnake e Beyond.
Creio que é obvio, todos os fãs desses caras sabe que há ligações, Dio e Ozzy vocalistas do Sabbath, Coverdale do Whistesnake que ja foi vocal do Purple e Evans do Captain Beyond, ainda acabo misturando algumas coisas solos de alguns integrantes, alias nao pense que tenho aquilo tudo, há verdadeiros e pirateados (sabecoméné).

O Disco do Rainbow: Que ganhei de um cara loco chapadão que estava fechando uma lojinha de discos velhos. Obs : (Pow jeniffer sabe aquele cara loco grogre de decadas passadas que encontramos uma vez sabe sei la onde, que me chamo de noia, é esse mesmo hahah rsrs) O disco mesmo, verdadeiro e uma incrivel raridade e é por isso que venho ocupar o blog com mais lorotas, pois nao sei onde eu encaixo o pobre e raro disco, junto com Richie Blackmore ou Dio com whitesnake e etc. Apesar de ser meio idiota e sem fundamentos fazer um comentario como este, mas é a duvida que nao quer calar.

Tudo vira uma bola de neve, graças a um bom momento, consegui restaurar algumas velharias que o Markshaw do "Momento veterano" loja de cds de Osasco jogou fora e para arrumar tudo isso em ordem, vira aquela dor de cabeça, até sonho com isso, sonhos ou alucinações, algo assim. Dá a perceber que fica dificil organizar, muitas bandas tiveram diversos integrantes que acabaram entrando em bandas diferentes pelo decorrer da vida.

arvore genealogica

Assim veio as ideias: associações. Começei por alguns punks, passando por alguns outros e chegando a Deep Purple, começei a relacionar com outros do Hard Rock progressivo e setentistas, até mesmo com Iron Maiden, afinal quando saiu do Deep purple, ele montou outra, tinha Janick Gers guitar. E dai vem querer virar tudo uma bola de neve outra vez, por contar dois albuns do Marillion, mas que pensando e calculando bem, encaixou.
Só juntar: Blackmore - Rainbow - Dio -Tommy Iommi - Hughes e Ian Gillan.

Depois: Rainbow - Yngwie Malmsteen - Turner - Bonnet - Steve Vai - David Lee Roth - Whitesnake - e seguindo chega até em Red Hot, incrivel.


Creio que fãs ou colecionadores de Hard, Heavy e alguns proximos talvez pensam nisso. Afinal se voce conhece Iron pode chegar a conhecer Purple, que por ventura Dio, e chegar no Malmsteen e assim por diante.

Mas o pior de tudo é que existe algumas a mais e há de ser modificado

Jimmy Page - Led zepellin - Yardbirds - Robert plant - Paul Jones - Then Crooked Vultures - Queens of the Stone - Dve Grohl - Foo Fighters - Kurt Cobain - Nirvana.

Certo, vamos parar por aqui.
Adios!!

Pink Floyd: desvendando "The Wall"

Por Mairon e Micael Machado


The Wall é um dos mais famosos discos do Pink Floyd. Passados mais de 30 anos de seu lançamento, ele continua a atrair e cultivar uma enorme legião de fãs, bem como alguns detratores. Criado quase que totalmente por Roger Waters, baixista e vocalista do grupo, é um disco conceitual, embora seu conceito não seja facilmente assimilado nas primeiras audições.

Basicamente, envolve um rock star chamado Pink, o qual, devido ao uso de drogas e aos traumas pelo qual passou em sua vida, acaba criando um "muro" em seu cérebro que o isola do mundo real à sua volta. Mas na verdade, a estória vai um pouco além disso.

Animals: de sua turnê, surgiu The Wall
Antes de falarmos sobre o conceito do álbum, vamos discutir um pouco a respeito período musical vivido pelo Pink Floyd na época. Animals (1977), o disco anterior do grupo, foi o primeiro a ter apenas um compositor escrevendo a maioria de suas músicas, no caso, o próprio Waters, já que nos discos anteriores o trabalho de composição era dividido entre Waters, o guitarrista/vocalista David Gilmour e o tecladista/vocalista Rick Wright. Nick Mason (bateria) dificilmente participava do processo de composição.

Pois em Animals Waters assumiu a dianteira, e teve a participação de Gilmour como parceiro apenas na canção "Dogs". Todo o resto do disco, baseado na obra A Revolução dos Bichos, de George Orwell, foi escrito e cantado pelo baixista, que cada vez mais assumia o papel de líder da banda, causando desgosto aos demais membros.

Durante a turnê para o álbum, a unidade do grupo foi se desfazendo. Problemas entre os músicos e entre a banda e seu management (o grupo descobriu que estava praticamente falido devido a investimentos financeiros equivocados feitos por seus empresários) quase levaram o grupo à dissolução. Mas o contrato com a poderosa EMI exigia ao menos mais um disco. Sendo assim, ao final da turnê, o Pink Floyd se separou, e, embora desejando que fosse em definitivo, os integrantes sabiam que as questões financeiras e o compromisso com a EMI os fariam retornar em breve.

Nesse período, Wright lançou Wet Dream (1978) e Gilmour lançou About Face (1978). Os dois álbuns solo não atingiram nenhum sucesso comercial, e então, quando os membros novamente se reuniram, tanto Gilmour quanto Wright não possuiam composições suficientes para apresentar visando o novo disco, já que haviam gastado os cartuchos nos álbuns citados. Assim, tiveram de aceitar o que Waters havia feito, com Gilmour ainda conseguindo colocar duas canções que ficaram de fora de seu disco no meio do processo

Rick Wright, Roger Waters, David Gilmour e Nick Mason durante a "The Wall Tour"

CONTINUA

terça-feira, 29 de março de 2011

Nobody Knows The Trouble I've Seen

E isso resume tudo: http://www.youtube.com/watch?v=SVKKRzemX_w

fantástico.

Poesia- Era Classica - Periodo Heian


A arte japonesa começou a florescer entre a corte imperial que era dominada pela família Fujiwara.
Para se ter poder ou se pertencia à família Fujiwara ou se tinha muita instrução para poder trabalhar para o imperador.
Assim a poesia começou a ter uma função muito comunicativa, e passou a possuir um trabalho arduo muito sério onde dominava a rivalidade entre artistas e a procura pela técnica mais perfeita e mais atraente.

Os poemas eram valorizados pela sua elegancia refinada, pelo seu efeito limpo, sereno, chamativo e pela sua beleza harmoniosa.
Os poemas eram criticados por serem pouco polidos e ininteligibilidade.

O Kokinwakashu tornou-se a colectânea central da poesia deste tempo. Esta poesia foi compilada por Ki no Tsurayuki (  872-945) Era uma poesia direcionada para os pessoas dentro da corte, quer para escritores da corte como para leitores da corte, poderia integrar poemas de classes inferiores desde que mantivessem o “bom gosto” considerado segundo o compilador.

Apesar de kokiwakashu pretender sublinhar a identidade nacional do Japão, o livro é escrito em chinês (o chinês era a escrita dos intelectuais e o hiragana começou a afirmar-se como a escrita entre as mulheres no séc. X).

É ainda nesta altura que surge no Japão o primeiro romance da história da literatura mundial: O Genji Monogatari de Murasaki Shikibu(c. 973–c. 1014 or 1025).

Há exemplos nos poemas nessas alturas, onde tem estrutura simples, mas tem uma forte expressão emotiva
Os poemas eram fortemente influenciados pelas estações do ano (utilizando o calendário chinês).

Poesia Japonesa - Manyoshu


Durante a era de Nara (710 a 794) surgem os primeiros registos da poesia japonesa inicialmente com o “Nihongi” ou “Nihonshoki" que conta a origem lendária do Japão. Este livro foi redigido no idioma chinês e trata-se de um texto essencialmente elaborado segundo conceitos da corte, no qual se misturam mitos ancestrais com veracidade histórica.

Depois a literatura japonesa foi ampliada com um grande livro de poesia, “Manyoshu” (Colectânea de Dez Mil Folhas). Esta antologia reúne 4496 fragmentos de poemas.



O Manyoshu possuía diversos poemas de todas as classes, desde o imperador até ao povo mais pobre. Possuía uma grande variedade social e cultural de cada classe.
 Os próprios compiladores intelectuais do livro tinham uma formação em literatura chinesa, vindo de uma epoca fortemente influenciada pela literatura chinesa e foi também utilizado como uma fonte de ligação nacional já que pelo conceito dos intelectuais da epoca o espírito nacionalista  era necessário para criar o conceito de “nação” e o crescimento da tal.

O hiragana só passou a desenvolver-se  a partir do séc. X e nessas alturas utilizavam-se os kanjis com funcionalidade fonética. A este tipo de Kana chamava-se Mayoga

Temas utilizados nos poemas do Manyoshu:

Soomonka – Canções de amor
Genka – poema da lamentação da morte
Zooka - Diversos.

Poesia Japonesa - Sabi


Há sensações diferentes que ocupa o poema e que colocam o leitor como um personagem inserido num cenário desenhado pelo autor. Segue a frase: “Quando eu olho à minha volta ,Eu não vejo flores de cerejeira" A imaginação é um ponto forte na poesia japonesa da epoca.
O poema define-se por aquilo que descreve mas, tambem descreve algo sem a essencia. Há um sentimento de vazio que é característico da poesia da época e que se define por Sabi (Conceito Estetico)


Sabi é um ideal poético que foi  promovido por Bashō (1644-1694) e seus seguidores do haiku, ainda que o termo e o conceito existam já provenha de um período muito anterior ao de Bashō. A designação de “sabi” aproxima-se de um conceito medieval que combina elementos como a passagem do tempo, a solidão, a resignação e a tranquilidade e que os estudiosos têm vindo a estudar que este conceito descreve características muito próprias da cultura popular do período Edo (1600-1868). Neste tempo clássico, o sabi era usado como sinónimo ou com uma conjugação com o conceito de Wabi, um conceito característico da Cerimónia do Chá japonesa e que foi posteriormente adaptado à literatura.

Fujiwara no Toshinari (1114-1204): foi o primeiro poeta conhecido a aplicar um termo relativo ao sabi (o verbo Sabu) na crítica literária, considerando as suas conotações ligadas à ideia de solidão, apontando determinadas imagens como, por exemplo, “as algas congeladas à beira-mar” como exemplificativas desta definição.
Contudo, ao atravessar o período medieval, a ideia de sabi incidiu com mais força na ideia de desolação de tal forma que a beleza de positividade inerente pareceu desaparecer, limitando mais o leque de possibilidades conceptuais.
Esta ideia, contudo, provém de preceitos medievais budistas que encaravam a vida como uma resignação e aceitação da dor e da solidão, procurando contemplar a beleza melancólica mas também genuína da natureza humana.

(hana) significa “flor” em japones, mas o autor quando escreve Hana se referi a Sakura, flor de cerejeira.

Poesia Classica Japonesa



Uma das características mais evidentes da poesia japonesa é a sua brevidade de expressão. Esta característica deriva do próprio tecido fonético da língua japonesa, tecido esse formado por poucas vogais e ditongos, isto fez com que o “pequeno” soasse “melhor” do que as costumeiras longas frases do nosso idioma e da nossa expressão.
Nas sublimes cortes de Nara e Kyōto, num ambiente de requinte artístico ajudaram a reforçar esta ideia.
Servia também como uma forma de comunicação que, juntamente com o senso de decoração e ostentação das cortes, proporcionou o ambiente necessário para a criação da tradicional uta 歌 também conhecido por waka 和歌 que significa literalmente “canção", o poema de trinta e uma sílabas que está no fundação virtual de toda a poesia japonesa entre 850 e 1900.


Neste ponto, e fazendo uma leitura comparatista, a poesia japonesa distingue-se da poesia europeia. Se estamos à procura dos grandiosos monólogos sentimentais de Hamlet, não vamos certamente virar as nossas atenções para a poesia clássica japonesa. Isto porque o waka deste período procura a singularidade imagética da realidade, a cristalização de um momento fugaz, a retenção do instante.
De ano para ano, a literatura sofreu várias mutações.

*Livro Tradicional Japanese Poetry

Haruki Murakami premiado na Catalunha.

O escritor japonês Haruki Murakami foi o grande vencedor do 23º premio Internacional da Catalunha, atribuido pelo governo regional

O premio reconheceu o escritor e sua obra narrativa dentro da literatura internacional.
O Mundo de Murakami, representando o Jãpão com seu desenho oscilante, entre o real e o lirico, dando forma diferente a obscuridade e o dramatismo que controi uma ponte entre o nosso ocidente e o oriente capaz de unir as culturas e a tradição.

O presidente delegado do Jurí que deu-lhe o premio, disse que a obra de Murakami expressa a genialidade japonesa na escrita, o considerando um "unamuniano (Miguel de Unamuno)" expressando tambem varios aspectos como o" pop, o manga, a sexualidade, o jazz e magia", são palavras de observação de Xavier Rubert de Ventós.

O grande premio da literatura é atribuido anualmente e este ano foi nada mais que 196 candidatos de 56 paises. 

NMurakami agradeceu por ter tido esse grande reconhecimento de suas obras e como escritor e disse, sentir-se honrado com o galardão, sublinhando estar "completamente feliz", devido a pessima situação que o Japão vem passando apos as catastrofes.

O autor pronunciou tambem que o premio entregue a 09 de junho, se constitua a "um alento" para seu pais atualmente em crise.
Haruki Murakami nasceu em Kioto em 1949 e cursou e licenciou-se em literatura e dramatirgia na Universidade de Waseda.
Escreveu seu primeiro livro com 29 anos e seu primeiro trabalho foi como vendedor de discos.
Depois do exito de "Tokyo Blues" em 1986, abandonou seu pais para viver na Europa e nos EUA, chegando a lecionar em universidades, como os norte-americanos de Primcetown, Tufts e Massachussetts

segunda-feira, 28 de março de 2011

shows



Adiado.
---------------------

Os ingressos para o show da banda de DORO PESCH, no Rio de Janeiro, para o dia 21 de abril, já estão disponíveis nos postos de venda e no site da Ticketbrasil.

DORO PESCH - WARLOCK pela primeira vez no RIO DE JANEIRO!!!
Grandes sucessos do Warlock e de sua carreira solo...
Data: 21/04 - Ilha dos Pescadores
Estrada da Barra, 793 - Rio de Janeiro/RJ - (21) 2493-0005

http://www.ilhadospescadores.com.br
Horário de abertura: 20hs
Doro: 21hs
Ingresso antecipado: R$60,00 (promocional, meia entrada inclusa)
No dia: R$80,00 (meia entrada inclusa)
Pontos de venda:
Headbanger (Tijuca) - 2284-1034
Taurus Tattoo (Centro) - 2220-1142
Rock n Roll (Barra) - 2421-1142

Vendas parceladas no site:
http://www.ticketbrasil.com.br

-------------
O lendário guitarrista Slash — que fez história no Guns n'Roses —  confirmou essa semana três shows no Brasil: dia 6 de abril, no Rio de Janeiro (no Vivo Rio), no dia 7 de abril em São Paulo (no HSBC Brasil) e no dia 8 de abril em Curitiba (Master Hall). Slash vem divulgar seu primeiro disco solo, em sua We´re All Gonna Die Tour. A banda de abertura será a paulista Tempestt, nas suas apresentações.
 
Serviço dos shows:

Rio de Janeiro - VIVO RIO

Data: 6 de abril de 2011, quarta-feira
Horário: banda convidada: 20h30, show Slash, 21h30 
Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo.
Classificação etária: 16 anos
Capacidade: 4500 pessoas.

Um momento

Não me queixo de mais nada
Sobre o sol da tarde
Entrando pela porta e refletindo na tv
Bem como um pé polído
Sobre um asfalto duro e aspero

Luz forte iluminando a tv
Refletindo aos olhos e ofuscado-te para o negro
Um céu claro e altamente azulado
Mesmo sob a pressão radiada do sol
Mesmo no entardecer que surge; É menos dia
Com um pouco mais sombria.

Não se queixando sob o reflexo cegando os olhos
Muito menos sobre a radiação me expondo
Ou elogiando o céu azulado e tenso
Nem sobre o perfumar dos lirios
Nem vendo o mal que existe em cada um
Deixando assim o teu pulmão envenenado
Sem cura, mostrando cancer e as dilacerações

Mas aproveitando o doce descansar
Isto tudo o que o dia me apresenta
Tornando o mal ao bom e sucumbindo ao sabor
Assim a onda cruza o oceano
E nunca ancora em porto amargo
Nem ouve a voz do vento que ignora

Reclino meu corpo esticado no sofá
Respiro a monotona calmaria
Decido tentar enxergar o que há
Apenas deixar a minha carne pobre pelo viver, viver.
E fazer disso tudo um poema de misericordia
Uma poesia cronica, sem rima, sem sabor
Sem amor ou dor.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Psicose: Legen....dary!

No dia 14 de maio, completamos 2 anos de Psicose, foram muitas choradeiras, filosofias baratas, papos de boteco, enfim, crescemos com esse blog. Com a intenção de fazer um blog cada vez melhor, pretendo (sério) postar diariamente, ou pelo menos, 3x por semana aqui. Como ando assistindo muitos filmes, e como sempre, muitas séries, surgiu a idéia de postar sobre isso. A dúvida é a seguinte: crio outro blog, ou faço isso aqui mesmo? Bom, estamos abertos à sugestões! Até o 14 de maio cabeças irão rolar. Ok, menos. Mas muita coisa irá mudar, a começar pelo designer desse blog que vamos concordar, tá pra lá de desatualizado. Então Priscila, arregasse as mangas e comece a pintar psicodelicamente! Já! Essa semana não prometo grandes coisas, alias deixo claro que isso não é promessa ok? É uma intenção. A única promessa que fiz me arrependo amargamente até hoje, por isso, sem promessas. Quanto ao título, quem acompanha "HIMYM" entendeu. Quem não acompanha, está na lista, próxima postagem é sobre essa grande sitcom. Por hoje é tudo pessoal, caso alguém deseje enviar um presente, estamos ai.

Beijo no rim!

O vinho





"Nunc est bibendum" - Horácio


O vinho... dádiva dos Deuses, néctar dos anjos... Bom para a alma e para o corpo. Saúde, grita um velho bêbado, após repetir sem parar os versos de Gita, do poeta dos embriagados: Raul.
O carnaval bate na minha porta: dançarinas semi-nuas, buzinas, neve artificial, cabelo colorido. Uma boa fotografia, sem dúvidas. Mas ainda não é o tema para o meu livro. Andando pelas ruas movimentadas nesse feriado, e assim mesmo não encontrar inspiração é no minimo frustrante. Volto, desisto por mais uma noite. Ou melhor, menos uma noite... é a eterna contagem regressiva. Esqueça. Hoje uma banheira quente me livra do tédio, da frustração e de qualquer vestigios alcoólicos. O vinho...dádiva dos Deuses, desgraça dos homens. O velho cirrótico quem diga. Continua cantando Raul, e sem dúvidas é mais feliz que eu. "No vinho, a verdade". E a verdade é que isso precisa acabar.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Somas de adição.

Voce bem sabe que nao vai ganhar, nem podera, tão pouco chegar entre os primeiros.
Cada minutos e segundos que passa simplesmente fica para tras e quando pensa que esta vivendo os segundos que voam e téra um certa vantagem, é ai que se engana e volta para uma realidade imortal.
Sua energia é vital, é como uma esperança amarga correndo para cativar teus neuronios, como uma chama flamejante dentro de teu pequeno cerebro e não sabe o porque de ainda arder. Isso faz com que voce continue com a esperança de vencedor e oculta o que voce é; Um grande perdedor, automaticamente faz com que voce negue estar derrotado, negue que é um perdedor e acaba se amargurando com o teu estado hostil que lhe impoê limites e desesperadamente aceita. Então que vantagem voce tem quando se engana brutalmente? Pra que quer que essa esperança continue abestadamente acesa e ateando tua mente para que ocorra um derrame cerebral que o faça apagar, esquecer da realidade? Que combustivel é preciso para alimentar isso? Voce acha que outros ja nao pensaram nisso?
Voce marca teu caminho com migalhas de pão, para que todo os esfomeados por vencer sigam-a e para voltar depois? Ou seja, nao voltará, deixou que esses esfomeados comessem a trilha fragil que criou, mantenha-se calada.
Ao fim que tenta retornar a sua casa, voce abre a porta e depara com um grande pesar, cade a esperança? É uma soma, uma soma de zero com zero é zero, tudo é a mesma coisa de sempre. O dia passa rapido e leva consigo o tempo de reação que te restava, não adianta mergulhar nas lembraças, no vazio que domina teu coração, mas emfim as coisas sao coisas.
Esta tudo bem, voce ainda tem uma boa tv e um pote de pipoca para passar o tempo, afinal até onde vale a pena estar em primeiro, as vezes as coisas encontrada durante um dia esta na trigesima quarta posição ou alem.
Então voce continua a se esforçar, faz coisas boas, certas e gratificantes, tem um convivio social invejavel, só que a corrida da certeza talvez possa levar-te a deslealdade e voce só percebe esse detalhe quando perde.

quarta-feira, 23 de março de 2011

A mascara e companhia do vinho


Ele  enche a cara de vinho
Viaja com tua caranga pelo quarterão
Não quer saber de solidão e nem de ficar sozinho
Quer tédio com uma pitada de diversão

As portas ficam abertas sempre
E tua vida cai aos pedaços
Acorda na madrugada
E não ve ali tua imagem queimada

Parece que esquece
Porque anda bebendo
Diz que nao é para lembrar do anterior
Nem o porque do estar sofrendo.

As vezes eu quero ser
Louco como voce
Mas nao sei
Prefiro pegar um cinema ou ver tv

terça-feira, 22 de março de 2011

Algumas horas

Um copo de cachaça do lado com toda a garrafa derramada. Voce no banheiro, vomitando tudo do dia passado, lava as mãos.
Alcool e muito café tambem.
Tudo aparentemente parece nao passar de um conto, mas nao é bem assim. Então é quando voce consegue firmar-se e olhar para tudo em volta, apoiando-se na pia suja e cheia de baratas e formigas carregando teus alimentos para o verão, nada era mais tediante, nada era mais ocupante.
Relogio preto, grande e moderno, quase que parando no pulso, mas felizmente os minutos começam a rodar, silencio e alguns ruidos ao longe, chegam a ser pertubantes, portas se abrindo, o papagaio da vizinha reclamando da vida; até mesmo um animal reclama da vida inutil que leva, vagabundas em seu momento de prazeres, alguns gemendo por matar-se enforcado.
Pensamentos a flor da pele, cerebro que nao para nem sob tortura. Dia maldito e ainda pensar na escrota lista de mais um lixo cotidiano, podemos tirar uma vantagem de tudo isso, e enchergarmos o quanto somos meros incidentes do poder politico; sobordinados e inflamados de desvastidão.
Adolescente imcompetentes que ainda esperam pela mãe para fazer absolutamente tudo, menos para cagar, comer e dar, as benditas novelas que os contradizem e passam a pegar a "lição" para um vida popular e mais uma vida tediante de presenciar, deixam para traz as tragedias mundanas, os bandidos roubando e matando, pais jogando teus filhos pela janela,  crianças sendo estrupadas por seus avos, tios, primos. No sofá os jornais esta acumulado disso tudo ai, pra mim, serve para alguma boa utilidade, colocar em cima do mijo do meu cachorro, recortar palavras para formar um protesto, forrar a cama.
Que papo o quê. Não adianta ouvir tua musica, aquelas que escolheu, o cachorro mijo tanto em cima do cd que nao roda mais, as guitarras ficam enferrujadas e murcham e tua eletricidade vira um forrozinho. Puts eu nao gosto de ver gente rindo, isso é tediante. A felicidade deles sao boas, mas e graça? Cade a desgraçada da graça? Infelizmente é uma coisa bem sumida ultimamente, há piadas, e a graça? São merda atras de merda. Nunca ninguem ligo pra politica, hoje vemos imagens falsas governamentais, assim como as mais novas, Obama, Dilma e um louco da Libia e vemos alguns mais pateticos que eles, alguns que dizem-se protestantes, punks, andarilhos, fãs de sex pistols e Bob Dylan e ai? É ai que descobrimos nossa solidariedade, entende?
Os pés começam a doer e a pia cedendo ao chão, canos furados, vazando agua pra lá e pra cá, o que faltava para terminar a decoração, acabei de matar formiguinhas em busca de alimentos para teus filhinhos, pronto eu viverei um assassino, é simples virar um assassino, um serial killer, etc. As baratas sobrevivem, elas sabem nadar, se eu acho tudo isso nojento? Não é uma questao de moda, gripe suina é uma delas, pode considerar-me um.
Caramba! É bom deixar que os atos caminhem com suas proprias pernas e se deitem na cama de uma vadia por ai, acho que hoje é o correto a se fazer.
É, a cachaça acabou, há um pouco no chão, espatifado com a garrafa, para vomitar amanha.

Prosa e observações.

Março e se aproxima o meu aniversario: Tempo estranho, frio e calor, alternando as vezes para o sol e a garoa fina de noite, mas é assim mesmo, é bom deixar a natureza ser natural, com suas crises de sentimentalismo. O tempo sem duvida parece adolescente que nao sabe o que quer. Frio ontem, calor hoje, 90º grau ontem -10º hoje, claridades até a tarde, o resto muito sol e a noitinha nuvens negras e garoas; Realmente parece com a vida, coisas que vai e vem repentinamente, contado como um blues nos shows da noite, não reclamo do tempo, gosto do frio tambem, por mais que seja gelido e acabe com a ida a praia no dia seguinte, ou um passeio em Salvador, mesmo que estrague e derrube casas de pessoas de pouca renda e ainda sim acerta como um soco em minha cara. Um pouco melhor que o transpirar ofegante que traz o calor, afinal nao sabemos donde vem tanto calor, se do ar ou do proprio calor humano brasileiro. Uma coisa é certa, os dias passam rapidos, e se pensarmos bem é bom, afinal poderemos viver alguns dias a mais.
Aniversariar nao chega a ser tão chato assim, afinal é um dia que ficaremos mais velhos, talvez maduros e com direito de expressao maior do que os poucos 18 e 19 anos.
Pela vigesima vez, mais um ano de registros para a lista branca meio esfolada por algumas razuras. Bom, algo vai algo vem, é um ciclo de vida inestimavel e muito discutivel apesar de ser em vão. 20 anos. Nem é A idade, afinal ter duas decadas é vivenciar grandes coisas de certa forma. 15 e 30 sao metades diferentes que se foram e que vem, mas ainda esta longe e cedo.
Crises adolescente é para o resto da vida, é a natureza, um dia sol, depois uma brisa forte, um tempo escuro e uma nuvem branca para pairecer, derrubando postes e arvores, socando caras e fazendo musicas poeticas e sendo expressado de formas avulsas.

segunda-feira, 21 de março de 2011

A arte de escrever

A irresistivel arte da página em branco. Algo precisa ser dito, e nada sai. Algo precisa preencher esse vazio branco. Mas o vazio preenche também minha mente. Escrever sobre a impossibilidade de escrever é estranho.

Loucos ao lado

Por que olha tanto para os teus pés, perguntou meio que pertubada pelos meus gestos.
Sei la, lhe respondi enquanto olho para os meus pés.
Voces gosta dos seus pés, retrucou ela.
Gosto não. Eu só tenho eles, acho que devo olhar para eles as vezes.
Acho justo.
É meio feio, meio duro, meio estranho, mas eles andam, não.
Pensou se pudesse escrever com os pés, acho que teria escrevido duas poesias de uma vez só.
Ou teria escrevido minha vida duas vezes melhor.
É engraçado só poder escrever nas folhas penduradas num arame que minha vó me deu.
E mais engraçado ainda nao saber escrever nas folhas novas da minha mente jovem.
Não sei do que falas, querida!
Quantos livros voce tem?
Eu nao...
Eu tenho varios, alias eu só tenho livros.
Garota, o que achas que estou fazendo ao teu lado, voce ja olhou onde esta.
Voce esta em um lugar sujo e limboso, sem absolutamente nada e comigo ao seu lado, vendo voce coçar teu pé. Não há certeza em mim, garota, nao ache que eu tenho certeza.
Vou te mostrar algo bem certo pra ver se voce tem certeza e se convence e cala essa boca maldita.
Olha profundamente para o teu pé feio.
Agora se apoie nele, levante e pegue teus livros, isso muito bem.
agora ande e sente ao lado daquele ali e começe a contar sobre porque olha para os teus pés, certo?

PF

domingo, 20 de março de 2011

Só mais alguns comentarios.

Não,não vim fazer imensas declarações ou narrar ou algo do tipo - apenas um cometario.
Mas apenas vim falar alguns pontos altos que ainda me chocam e nao consigo guardar para mim mesmo.
5 categorias no Oscar, é uma autobiografia de Aron Ralston e protagonizado por nada mais que: James Franco. É isso ae.
Sao ponto que me chamarão a atenção em 127 Horas.

Um deles é que o James Franco foi fantastico- Imaginando uma interpretação especie "homem aranha" como aquele carinha metido, meio afeminado e etc, certo, bem imprevisivel.
Mas de certo nao chamou atenção por ser lindo e maravilhoso, nem pelo seu jeito rockabilly e legal, mas simplesmente pela sua atuação surpreendente e perfeita. Alem de me emocionar, proporcionou uma paz e uma realidade imensa ao termino do filme. Merecia ter ganhado um Oscar ao menos.

Um de outros detalhes - O elenco - Agora me falam, imaginava ver Amber Tambly, Kate Mara e Clémence Possy a garota de Harry Potter e James Franco cujo nao necessito falar mais.

Apesar de toda os falatorios sobre o que se passa no filme, Tedio? Só se for para criticos, pois criticos sao nada mais que criticos, entao critica nao se descute. Aquela coisa de "Meu paguei para ver um filme que passa um cara com o braço preso numa pedra", qual seria tua resposta, pode crer que a minha foi exatamente a mesma "mas que merda". Mas 127 horas nao é esse tipo de filme, se voce fechar os olhos em alguns instantes perde a sintonia do filme, pois é alucinante. Não é parado - Sao visões, angustias, amores, flasbacks - Algo que realmente passou por uma pessoa - E um ator digno de dramatismo - Não é tediante, tenha certeza.

Concluindo o derretimento pelos atores, uma das quais que me chamaram a atenção é nada menos que o Diretor - Alguem ai assistiu "Quem quer ser um milionario" um filme digno de Oscar e vencedor - Pense nas fotografia, no posicionamente de cameras, em realidade e dramatismo, isso resume filmes desse cara, alem de ter uma percepção otica alucinante, o filme gira em torno de uma mentalidade fantastica.

O ponto fator: A realidade avassaladora e extrema. Logico que uma cena de amputação nao é comum em filmes, e automaticamente com a tecnologia cinematografica atual nada poderia ser mais digna de uma realistica amputação. - "Caramba coitado do James, vai ter que cortar o braço" Realisticamente quebrar e cortar um braço irrealistico foi a missão de James e a posição de quem assiste nao é diferente.

Outro fator importante - Lição de vida - As vezes fica tediante olhar um filme com a intenção de tirar moral, mas nao em 127 horas, voce tem uma lição automatica, e nao lições como dizem na ironia "Leve um celular", "Afie teu canivete".
Simplesmente Aron era um cara orgulhoso, assim como diz o proprio, alguem habilidoso, um professor comunitario, sabio em questão de teu esporte e cuidados, simplesmente ele nao precisava de ninguem para ajuda-lo fazer uma escalada. Então a realidade ofuscada, vê-se preso ali, ta bom "Onde esta todo mundo", "Não contei pra ninguem onde iria", "Cadê a ajuda", as coisas ja nao era a mesma de segundos passados.

Sobre Franco acompanhe a carreira desse rapaz xD
Ainda escreverei sobre Aron, mas ainda estou procurando palavras para isso.

Alá nevermind



Do wisplash

sábado, 19 de março de 2011

Decepção

Todo mundo tem problemas, certo? Alguns mais, outros menos, mas todos têm problemas desde o cara que pede comida em minha porta quase todas as semanas até a realeza britânica à exemplo do rei George a pouco tempo interpretado no cinema por Firth. A comparação sempre surge, e sempre quem sofre do problema tende a achar que seu problema é maior que o dos outros. Li ontem uma matéria no G1, site de noticias da globo com uma matéria sobre a catástrofe ocorrida no Japão. De muito mal gosto por sinal. Observem o título da infame matéria: "Onde estão os rôbos agora?", uma piada de muito mal gosto onde o jornalista a qual não encontrei nome para chingar, reflete sobre os avanços tecnológicos do Japão que nada ajudaram frente à esse desastre natural. Um comentário infeliz frente às notícias que chegam diariamente ao nosso país sobre milhares de mortos. Agora vamos analisar friamente a situação: será que o jornalista está de todo errado? Claro, o comentário não deixa de ser infeliz e não há justificativas convincentes sobre esse fato. Mas vamos lá: milhares de pessoas morrem todos os dias enquanto a ciência consome milhões de dólares para pesquisar bactérias em marte. É complicado analisar uma vez que amo a ciência, mas meu senso de humanidade supera essa paixão. Cada vez nos afastamos mais do natural, já vi videos onde crianças não sabiam o que era uma maça. E não se enganem meus caros, isso não era lá onde judas perdeu as meias, isso é reportagem de crianças brasileiras, norte americanas e européias. Mas adivinhem: a barbie todas elas conheciam. Será que publicidade, o status político e tecnológico valem mais que vidas para nosso governo? E pra você? Enquanto você conversa com sua amiga sobre quem votou em quem no big brother, no outro lado do mundo milhões lutam para sobreviver. De novo. Mais uma ameaça nuclear em um país que lutou muito para se recuperar da primeira. E o cara vêm com uma matéria dessas? Porra, eu sou daquelas que é a favor do dito "se não ajuda, não atrapalha". Então vamos ter um pouco de compaixão, pelo menos?

O que me entriga é como uma emissora tão popular à maioria da população permite a divulgação de uma nota tão preconceituosa (e um tanto quanto invejosa)tendo em vista que muitos japoneses ajudaram a construir esse país, principalmente São Paulo. Na verdade nem me entriga tanto. Só me decepciona. O mundo anda de mal à pior.

Mas todos tem problemas, certo?

Divulgação

"Quando me apaixonei pela literatura, meu mundo mudou.
Mudaram minhas referências, algumas preferências, minha forma de expressar o que penso, o que sinto, o que desejo. Meus questionamentos aumentaram, minha sede de conhecimento tornou-se insaciável e o livro passou a ser minha principal fonte de inspiração e informação.
Meu primeiro Blog foi criado em 2004. De lá pra cá nunca mais parei de escrever, de buscar temas, propostas e amigos que pudessem colaborar nessa empreitada.
Posso dizer que se o livro mudou minha vida, pode mudar de outras pessoas.
A leitura é como uma religião e o Livro como Jesus Cristo. Aquele que oferece a luz, a salvação, a redenção, o caminho."

"Foi nesse momento que surgiu a idéia de fazer uma Tag no Twitter - #Trocadelivros e estimular os seguidores a se conhecerem e tentar encontrar num universo de milhões de pessoas, outros interessados no amor pelos livros."
Então alguém que tenha interesse nos seus livros do Nelson Rodrigues entrará em contato e lhe oferecerá um do Saramago ou outro título que seja do seu gosto. Os dois trocam e-mail e combinam o envio.
 

"É claro que numa iniciativa como essa, contamos totalmente com a honestidade das pessoas envolvidas.
Como recomendação, oriento a passar um endereço do trabalho ou de caixa postal para não correr riscos com aproveitadores que possam utilizar seu endereço residencial. APENAS POR SEGURANÇA.
Para quem é novo no Twitter, o processo é bem simples. Clicando sobre a Tag #Trocadelivros  você terá acesso a todas as mensagens que possuam o mesmo conteúdo.
Para garantir um pouco mais de privacidade e segurança, nós criamos uma página no Facebook para que você possa ter acesso a mais informações sobre a pessoa com quem vai se corresponder. Por lá outros títulos e outros usuários estarão participando também.
Lembro, que essa iniciativa não tem fins promocionais e nem lucrativos e que todos os envolvidos são responsáveis individualmente por suas trocas. Não me responsabilizo pelos usuários. "

"Participe do grupo no Facebook"

"Procure passar um endereço de trabalho ou Caixa Postal.
APROVEITE E DIVIRTA-SE"

Tico Sta Cruz
 
Divulgação para o excelente trabalho do Tico Santa Cruz
Acesse o blog e veja os detalhes

A terra e eu

Sobre o mar
Sobre a areia
Não esquentou muito,
Como eu
Sobre o eu
Sobre a agua, o céu e eu

quinta-feira, 17 de março de 2011

It's the end of the world

O que você faria se soubesse que hoje é seu último dia de vida?

Pré-conceitos

"O dominio de Lansbergbawer" era uma ala das minhas experiencias com as artes, algumas coisas que todo os seres tem ou ja tiveram, um lugar proprio para expressar as artes, seja a literatura, visual, pintura, musica, etc. Há um tempo existia um blog chamado, "Conto dos Cômicos", praticamente meu primeiro blog literario, apos um monte de blogs, sobre Bob Dylan, Ramones, Nirvana, Guns n Roses, Janis Joplin etc, e pode crer ainda dos tempos escolares, nao faz muito tempo... Lá eu postei alguns de meus poemas, contos, iniciativas de contos e poemas por assim dizer, historia ridiculas sobre "The lord of the ring", coisas nada veridicas e com o passar dos tempos, em apenas algumas postagens ele passou a se tornar "Livro de crimes dos tolos" nao perguntem o porque dos nomes, mas foi nomes que procurei tirar dos meus proprios contos, historias, poesias e derivados dos que escrevia, e logo apos passou a se chamar "Lar e cronicas" que foi numa fase muito delicada onde lia muito Tolkien e Jack Kerouac e alguns livros sobre Che depois de algumas conversas com a Jeniffer atual companheira de blog pra variar, e resultou numa especie de algo estranho, mas o foco do blog era esse, mas perdi a senha do blog e depois começei a escrever outro, pois nao aguentei nao conter minha vontade de escrever infelizmente, me apertava o peito e entao resolvi escrever sobre alguma coisa séria e tal, mais voltada a criticas e que acabou nao indo muito longe.
Mas "Che e Pri" meu ultimo blog pessoal foi de maior impacto, realmente eu escrevi sobre absolutamente tudo, no que eu mais pensava anteriormente, e logicamente me expressando de uma modo mais culto por assim dizer cuja ideia nao é estabelecida, mas sim momentanea, não com coisa tematicas, como os anteriores, escrevendo absurdamente sobre coisa planejadas sobre apenas o olhar sobre uma unica coisa, mas sim nada mais que pensamentos. Este blog tinha a função de juntar, assim como a pintura, cores misturas e diferentes, ou seja uma mistura de linguagem de artes sobre a minha visão. Seja literaria ou qualquer coisa que venha a mente, sem moldes, sem planejamentos. E assim esse blog caminhou até eu perder a senha.
Acho que aparentemente esta igual o "Psicose" praticamente sem moldes, diverso e começando a pegar a linha.
Hoje vejo o que faz uma pessoa ligada a nada, nada mais que escrever, enfim é algo que nao precisa de matematica, fisica e quimica e teorias e sim expressão, seja para o papel, ou para uma filmadora ou uma lente fotografica ou uma tinta, o grande meio é a: Criatividade.

Só para constar e ter um pouco de credibilidade na postagem, confira o calendario de exposições do Madeinjapan e nao deixe de ir, vale a pena! Talvez faça voce criar um blog.
Adios
!

terça-feira, 15 de março de 2011

Um pouco mais de vinho, por favor


Juro que pensarei mais em voce.
depois que terminar de beber minha taça de vinho e meu pequeno copo de whisky Macallan 1926
                                           Que seria mais util.
até colidir com o meu ser e poder entender voce melhor,
                                            certo?
Agora deita enquanto eu termino de beber,
                       Pelo menos eu sinto
                           que quando eu bebo
                              eu sei interagir
                                  principalmente se for com palavras tolas como as tuas.
                                     elas sao futeis
                                        mais futeis que teus olhos
                                               AH!!!
                                             o que queria falar?
                                                 Pode começar.

Priscila F

sábado, 12 de março de 2011

O elefante

Falamos sobre filmes, sobre viagens, sobre o carnaval e futebol, sobre músicas ou culturas que desconhecemos. Escrevemos poemas, contos, pensamentos acerca de assuntos sem importância, porém nunca falamos sobre o elefante que está no quarto. Falamos sobre a cor do quarto, os objetos que ali estão presentes, sobre o piso de cerâmica frio, sobre os tapetes, sobre os enfeites comprados, pelos posteres colados, pelos livros e demais objetos dispostos sem nenhuma ordem lógica ou organização. Sobre a vida que passa pela janela, sobre o último capítulo do nosso seriado favorito, ou novela, ou reality show, ignoramos o elefante, a empatia e a compaixão. Vamos a uma exceção: hoje falaremos sobre o elefante.



Existem 3 tipos de pessoas, iremos falar sobre dois tipos:
1- Negligentes: Negamos a existência óbvia do elefante no quarto, talvez por um extinto de auto-preservação. Negamos a iminente catastrofe do mundo: Violência, corrupção, poluição, entre outras coisas a quais estamos carecas de saber. Negamos e a mídia ajuda a ignorar. Pra que falar sobre as leis que foram aprovadas na amazônia diminuindo a área de preservação? As pessoas querem ver a sexualidade rolando solta na TV aberta. Não é atoa que crianças entre 12 e 15 anos estão engravidando. Negamos tudo isso e muito mais, afim de poder dormir a noite.



2- Conformistas: Aqui não se nega a existência do elefante; Assumimos que ele existe, está entre nós, porém não temos intenção nenhuma de mudar essa realidade. Aceitamos o que é jogado para nós, é a política do “Pão e Circo” utilizada na Roma antiga adaptada aos dias atuais.
Independente à qual desses dois grupos a maioria das pessoas pertençam, o resultado agente já conhece. Anafabetismo funcional em massa, eleição de Tiririca, Frank Aguiar, entre outros problemas evidentes que ignoramos, ou aceitamos ou por preguiça ou por egoismo.

sexta-feira, 11 de março de 2011

And so it's

Just like you said it would be
The shorter story
No love, no glory
No hero in her sky


"I can't take my mind off of you"

sábado, 5 de março de 2011

Tédio

Caminhei por muito tempo nas ruas aqui por perto de Rotterdam , iluminadas, as vezes cinzas, o dia perfeito para meu humor.
Caminhei por tanto tempo nas ruas perguntando-se minhas amarguras, revelando as cinzas vistas de casas e lojas do meu humor.
Caminhei por tanto tempo nas ruas vendo os carros cinzas e o dia apagado, sem luz, nada iluminado.
Caminhei por tanto tempo nas ruas revelando meu humor, meu não tanto precioso humor. De tédio e morto.

Todos tem aqueles dias de suas vidas. O de tédio.
Tudo é tediante, tudo nunca tem graça. Tudo é tão estranho quando o que sente.
Caminhei por muito tempo nas ruas de Hotterdam, tentando achar um minimo de graça, seria meus ultimos dias nessa maravilhosa cidade. Ultimos dias cinzas e claros, sem luz e sem nada.
Os carros passavam na rua vaga, sem ninguem para uma rua tão movimentada e procurada pelos teus vizitantes. Carros branco, preto... Antes de chegar aqui era tudo o que eu queria ver, para tentar lembrar alguns tempo moderno, um tempo moderno e perdido do passado. Foi o que eu encontrei. Encontrei o vazio. Queria fotos neutras e sem cor, sem suor e sem sol, fotos revelando meu humor morbido, humor de coruja, humor morto.
Caminhei sem meus fones de ouvido dessa vez, talvez tentando resgatar algo que pudesse dar alegria nesse cinza, talvez alguma coisa que não deixava ser um tempo deprê. Para quê? O silencio era tão alto quando o barulho do vento. Orei a Deus implorando um sol, aquele mesmo, que orei a Deus para tirar, corri as avenidas tentando suar, tentando fazer barulho com meus sapatos sem marca barulhentos, corri dentro de uma igreja para tocar os sinos, não tinha sinos por lá.
Xinguei o dia. Xinguei todo mundo. Xinguei a gota de chuva que caiu no meu olho, misturando com minha unica lagrima de odio.
Será que é comprô? Talvez uma pegadinha sem graça das tvs holandesa? Ninguem, numa rua tão aclamada, ou ainda talvez tristeza pela perda da copa? Ninguem.
Dia de tédio. Os carros se movem para lá e para cá sem barulho, algumas minimas pessoas perambulando os bares, sem som, sem tv, sem gente chata tagarelando, sem um cachaceiro.
Tão tediantes como ruas amarelas de Paris. Tão tediantes quanto as ruas barrocas de Italia.
Nas praças viam-se pombos e nos teus lagos os pingos irritantes da garoa, borbulhando todo o resto.
Tudo era tédiante. Dia de tédio. Humor tediante. Meus pensamentos são mais alvoroçados do que o movimento, será que todo brasuca é assim, alvoroçado? sem ter um pingo de espirito europeu, tediante? Ou o meu assunto é tediante assim como eu sou tediante?

Priscila F

Trekking, acampamento e caminhada

É...a amanha estou indo para MS \o/, morrer de medo mais uma vez e emfrentar para ver o que vai dar.
-Vou escrever tudo pelo site Adventure, adios



"Like a true nature's child
We were born, born to be wild
We can climb so high
Born to be wild

Head out on the highway
Lookin' for adventure" - Mars Bonfire

sexta-feira, 4 de março de 2011

momento Ó

Uma opinião sobre Chris McCandless e um amigo.

Chris tinha uma necessidade imensa de viajar, de conhecer pessoas novas, lugares diferentes, viver a vida de uma forma fora de seu padrão ao inves de apenas viver aquilo que não se sentia bem e uma rotima continua que é a nossa sociedade, e sim é bom e foi correto para ele.
Mas Chris nunca considerou-se certo e afinal pelo teus escritos mostra-se que nao foi uma pessoa cem por cento certa no aspecto: conhecer a vida. Afinal quem tem poder e um conhecimento profundo sobre ela?
O mais triste é que muitas pessoas acabam se apegando a um personagem ou a alguem que admira e passa a ter uma visão igual a dele, porem, aqueles que leram podem ter uma certa conclusão que grande parte do livro representa Chris diferente, não o Chris que no inicio trasntornado por seu interior e por seu conceito.

Infelizmente vi alguem que simplesmente largou tudo e foi viver como Chris. É legal? Logico, mas tão precipitado é realmente complicado. Sera que realmente é essa ideia que Chris quis trazer a todos.
Esse alguem havia acabado de formar-se numa area que tanto pretendia, sido promovido no emprego que queria, tinha uma familia que era estranho não invejar e uma namorada a qual declarava teu amor, e é ai o ponto.

Chris passou um tempo que acreditou que a felicidade não era uma relação humana, até mesmo criou personagens em seus livros e pensou que podia viver atraves deles e no final vemos que nao foi bem assim.

Algo que me marcou e marcará para sempre é a forma como esse largou tudo e foi viver viajando o mundão por ai e ter deixado sua namorada praticamente desolada e a familia pensando bolhufas.

Devemos viver a vida bem e de forma que nos deixa feliz, e viajar, conhecer outros lugares e etc é bem gratificante, realmente um dia eu espero largar um pouco de minha vida antisocial e embarcar em prol de conhecer novos lugares, viver uma aventura e tudo mais.

Mas uma frase que me marcou no final do livro de Chris é a seguinte.
"A felicidade só é real quando é compartilhada."

Uma frase chocante, pois Chris passou a entender que estava engando quando passou a acreditar que conseguiria viver e ter a companhia dos personagens do seu livro, isolado e sozinho no meio de uma selva e pensando bem eu profundamente acredito que Chris pensou na sua familia naquele momento, ou seja nas pessoas que amava.

Olha eu simplesmente quero chegar nesse ponto. A felicidade é grande quando se pode ser compartilhada, até mesmo em nossas viagens e aventuras por ai, acho que por isso Chris se apegou tanto a Wayne. O amor é uma coisa fundamental na vida de uma pessoa, e então creio que não era isso que pudesse fazer esse amigo largar tudo inclusive aquela que sempre diz ser sua companheira de viagem e de tudo mais, da a impressão que o amor nao possa ser realmente exercido, ou então creio eu que Chris esse cara que tanto admiramos e que muitos por ai admiram, seja mal interpretado.

Nos serem humanos passamos por mudanças constantes, todos passam, Chris passou.
Ele infelizmente nao teve a vida que talvez pretendia, ele infelizmente não pode ficar livre de seu interior, ele realmente precisou passar por isso e tudo o que deixou para tras ao contrario do que alguns dizem, nao foi por egoismo e sim por uma atitude que deveria tomar e hoje vivemos tudo o que ele gostaria de viver, é bom pegarmos isso como um ensinamento apenas e ver o que ele trouxe no decorrer de teu livro, foi que a felicidade compartilhada com aqueles que ama é fundamental para se viver livre e realmente feliz.

É isso, eu realmente passei muito tempo discutindo sobre isso, sobre esse amigo alucinado que ve tudo o que se passa e não tem um minino de piedade e o meu ponto critico a respeito desse personagem historico qual eu admiro.
Sobre este eu sinceramente do coração eu achei legal sua decisão, apenas não fiquei trsite da forma que deixou tudo da maneira mais drastica possivel, bom nao sou ninguem para falar disso, afinal nao sei o que se passa debaixo do teto de alguem, mas pela minha amizade é realmente de matar, talvez tenha motivos para isso, mas me doi saber que uma coisa mal interpretada as vezes gera tantos problemas e temos que conviver padencendo do sofrimento ao lado.
Realmente gostaria muito que captasse a mensagem que Chris passou e que realmente hoje muitos assim como eu e voce, nao estamos trancafiado numa selva e sem amor, temos todas as chances que Chris quis ter.

Entendam como quiser. Precisava escrever, não só para mim mesma guardar em meus documentos, mas para ser lido, principalmente por este que praticamente nao quer mais contato com ninguem e o pior que tudo é que tem meios de contato e deixa todos com um sinal de interrogação na cabeça.

"happiness is only real when shared"