segunda-feira, 31 de maio de 2010

Um dia daqueles

Quem nunca teve 'Um dia daqueles' levanta a mão!



Bom, ninguém se pronunciou, como eu previa. Pessoas, hoje tive um dia daqueles. Maas, primeiro, vou contar minha primeira semana pós-vadiagem. Vadiagem? hum. Já esqueci o que significa essa palavra a essa altura do campeonato. Semana do nabo como diria o Edu, mais conhecido como Jesus. Mas, gostei. Não peguei nenhum dos professores ditos 'apocalipticos', matéria relativamente tranquila, e...laboratório semana que vem (L).

Mas hoje...alguma coisa esquisita aconteceu comigo. Meu café da manhã resolveu ficar na Mooca, mas eu tinha que ir pra Sto. André. Me despedi dele e fui desmaiando até a aula. Por milagre consegui assisti-la inteira, mesmo que tenha durmido apenas 3hrs na 'noite' anterior. Sobrevivi, cheguei em casa morta, e ao invés de estudar (to mal ainda, dá uma colher de chá), estou aqui transcrevendo minhas frustações diárias. Inferno pegar metrô no Brás passando mal, fato. Pior chegar em casa e estar sozinha, ando sentimental demais. Vou começar a exercitar o meu
"I don't care"







Saudade de certas coisas...

Enfim, sem choramingos, vida é isso. Deixo pra vocês um textinho bem sem vergonha de manjado mas é o que eu gostaria de dizer no momento.

"Sei tudo sobre você. Sei que eu deveria ser forte, que não deveria me apaixonar. Sei que posso estar cometendo um grande erro me entregando dessa maneira.

Mas que culpa eu tenho se quando tento fugir é pros teus braços que eu quero correr? Se ninguém me faz sentir do jeito que eu sinto quando estou contigo? Se eu preciso do seu carinho, do seu toque? Se você tem uma maneira só sua de me surpreender e encantar a cada instante? Se nada mais me importa quando sei que você está ao meu lado?

Yeah, you re the right kind of wrong."


É.

Beijos crianças, se eu não voltar não se preocupem, só morri. Bolinho de chuva no meu funeral, mas só pra quem chorar viu?


Anotação mental: jogar poker antes de morrer.

Um comentário: