terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Era uma vez...

Era uma vez uma garota chama Paula. Sempre incompreendida, por seu sotaque, por suas gírias. Vivia em um lugar nada convencional, cheia de pessoas dos mais diversos tipos, das mais variadas regiões do Brasil. Expirou-se cada molécula em desses tipos diferentes, resultando então nessa pessoa esquisita, e até um pouco feia, mas sobretudo incopreendida. Muitos que a conheciam, se apaixonavam, pela excentricidade, e pelo seu imediatismo: puramente rock 'n' roll. "Mas Narciso acha feio o que não é espelho" e essa excentricidade não causou apenas paixão, causou também repulsa. E todos aqueles egocentricos se depararam com o oposto, e se afastaram, por medo. Porém, nossa jovem sobreviveu e sobrevive a todos aqueles que à amam e todos aqueles que a odeia. Hoje completa nada mais nada menos que 457 anos.

Feliz aniversário minha jovem, tenho orgulho (quase sempre) de te conhecer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário