sábado, 4 de setembro de 2010

Capitulo 2: Esconde


continuação de: http://nerwensurion.blogspot.com/2010/08/lentes.html


Crescer não é fácil. E por mais que os otimistas digam, crescer também não é somente um estado de espírito. Agente cresce quer o cérebro queira ou não. As limitações chegam, é fato. Há uma semana, Ed passou dos quarenta, vivendo eternamente como um garoto de dezoito anos, sente agora o peso da idade e as conseqüências de suas más escolhas. As suas assíduas bebedeiras lhe proporcionaram um fígado cirrótico, e agora espera por transplante. Descobriu sua doença a menos de duas horas, e já se sente um homem morto. “- Calvície, espelho, lente, e cirrose”. Pensou exatamente nessa ordem, a ordem da sua vida, a ordem de sua evolução, e a ordem de sua morte. Imaginou se haveria alguém em seu enterro... Provavelmente não. Seus filhos o detestavam, sua ex-mulher havia falecido, os seus amigos...Ah os amigos...Quais amigos? Aqueles que ele imaginava que eram amigos, lhe abandonaram há muitos anos, e aqueles quem desprezou, não tinha coragem de admitir seu equivoco. Lembrou de uma amiga a quem por ele havia se apaixonado, mas que por motivos torvos havia se afastado. Pensou em contacta-la. Mas como? Anos haviam se passado... Como?

Nenhum comentário:

Postar um comentário