segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Pásion

"La noche que me quieras
desde el azul del cielo,
las estrellas celosas
nos mirarán pasar.
Y un rayo misterioso
hará nido en tu pelo,
luciernagas curiosas que verán
que eres mi consuelo..." 
Carlos gardel - El dia que me quieras

Restava-me alguns afazeres
apenas as fumaças de uma xicara de cafe (fervente)
Quantas lembranças
Des(agradaveis)
com eu
Minha insônia pertubadora não deixava espreita-lo
por mais que quisesse
minha insonia era malevola, era tão ruim quanto voce
Sem sono
Sem deitar-se
Fiquei cansada por um tempo
tão cansada que nem fui a tua espera
todas essas lembranças são cruéis
por horas na mesa de um bar sentada a luz do dia cinza
Tomando o cafe da insônia e cigarretes de um galante torvo
do(s) galante(s) torvo(s)
Fiquei a tua altura
nos botecos de uma esquina gelada ouvindo as contradições de um tango impetulante
estragando minhas emoções, habla del pasion a la manera de un bromista y una puta vergüenza

Ficarei no meu quarto esperando
se não procurar-me estarei a companhia de meu café de insônia que não me faz sentir a pasion del Gardel.

Priscila Faria

Nenhum comentário:

Postar um comentário