terça-feira, 23 de agosto de 2011

Cinema Brasileiro

O Cimema brasileiro atualmente vem tendo varios lançamentos, cresceu em produção audivisual como novos e mais modernos equipamentos utilizados em filmes hollywoodianos. Mas é inegavel que o cinema brasileiro vem atravessando uma maré de azar desde suas origens, uma fase dificil que vai perdurar por mais tempo.
É frustante o numero de jovens correndo atras do cinema, querendo fazer filmes e acabam tendo influencias erradas, fazendo a mesma gozação, o mesmo drama (se é que existe no Brasil), o mesmo cotidiano, a vida urbana brasileira, as drogas, corrupção, favelas, o samba, praias e mulheres despidas. Acabam fazendo algo comum e quando perdem a categoria do Oscar de filmes estrangeiro ficam chateados. Isso vai mais alem de votar no Cristo como maravilha do mundo e mostrar isso em um filme. Cada vez tentam cultivar aquela coisa de "orgulho nacional" que no final sabe se la onde esta o contexto que gostariam de apresentar.
Um filme ítalo - franco - brasileiro  de 1959, dirigido por Marcel Camus, unico vencedor do Oscar de filmes estrangeiros. E mais bem sucedido.

Sabemos que os americanos são superpatrioticos e que gostam de esfregar a bandeira na cara do teleespectador em qualquer cena e em qualquer frase - vejamos os franceses, o mesmo grau de patriotismo sem a necessidade de esfregar aquelas cores na sua cara e se mostra uma digna produção no cinema mundial. O problema é que o brasileiro busca confrontar cultura com as demais. É feita de tal maneira repetida e inculcada na cabeça dos pobres jovens aprendizes que fazem nos documentarios a longas aquilo "vergonha de uma nação".

Um filme brasileiro-estadunidense de 1985. Dirigido pelo cineasta argentino Hector Babenco
Isso quando não acaba acontecendo que o mais diversificado e menos cultural filmes que temos hoje, vem com a mesma tradição americana, a bandeira dos states, atras de um presidente negro, com vilões mexicanos, um galã e uma musica especie "senhor dos aneis", mas isso é só um dos lados menos pior.
O pior mesmo é quando tentam fazer biografias! Com os artistas de sempre (Globo), depois que esse filme é assistido em algum evento cinematografico internacional como Festivais e derivados, recebe sempre o mesmo comentario, " Contemplamos mais um bom filme e é incrivel como cada vez mais a industria cinematografica brasileira vem crescendo". Vem crescendo a muito tempo ja!

Ou uma simples frase que saimos manjando o filme inteiro como "O maior roubo a banco da historia do Brasil".
Logico que o objetivo de um filme é entreter, entrosar sempre. Historia nós brasileiros sabemos contar bem e nem precisamos ser patrioticos ou dramaticos para isso, mas precisamos saber como levar isso ao filmes, talvez falta uma pimenta, uma coisa que fuja um pouco da nossa sociedade, uma linha musical de efeito, novos artistas que não faltam nesse pais e jogar menas propagandas de pobreza. Com uma radicalização o cinema brasileiro venha a ter cara de filme e não de novela.
De 2002, dirigido por Fernando Meirelles



Oscars 2004 (EUA) - Cidade de Deus (Um dos filmes brasileiros mais bem sucedido no Oscar)

Nenhum comentário:

Postar um comentário