sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

On the Road

Falar de livros é sempre muot bom, ainda mais quando é livros de Kerouac, é sempre um prazer alias podemos ler e escrever do modo como fica a na mente, são eternos. Quando um escritor começa a escrever, é porque tem uma inspiração, seja lá o que for, uma musica, um lugar, um tema, uma emoção. Sua inspiração para desenvolver sua obra é sempre cercado pelo espaço e assim não tem como não correr em busca de uma publicação. Respeito muito todo aquele que gastam tempos de suas vidas escrevendo, lendo, passando uma boa mensagem, ou simplesmente escrevendo algo para nos chamar atenção.

Falando de Jack Kerouac, um dos maiores escritores de todos os tempos. Disse muito sobre a revolução cultural, a revolução artistica da escrita. Uma grande revolução cultural que ficou conhecida como a Geração Beat.

On The Road - Jack Kerouac On The Road

Em 1957, Jack Kerouac publicava On The Road e iniciava uma revolução cultural nos Estados Unidos. Este livro tornou-se o manifesto da geração beat, era uma forma de expressar aquilo que vivia, não somente ser culto na escrita e ter o maior cuidado para não dizer aquilo que realmente fazia e sim esconder e colocar por baixo do pano, não, era uma historia da vida vivida como ela era até seus mais perigosos limites.
"Os beatniks queriam a diferença, fora de padroes, escolhiam a marginalidade do que a a propria moral.

Não queriam continuar numa sociedade morna, desprovida de vida, de ação e liberdade de pensar e viver.

Apesar das experiências com o êxtase através das drogas, que é apenas um detalhe vista a importância desta experiencia  da geração beat. O homem tem direitos dentro de uma sociedade, ou seja é uma libertação, seja de palavras, de atos e praticamente falamos de uma revolução artistica, literaria principalmente.

Por intermédio de Burroughs, Kerouac conheceu escritores como Kafka, Céline, Spengler e Wilhelm Reich. Os entao amigos passaram a conviver com as barras pesadas do Times Square.

Descendente de uma família de franco-canadenses, Jack Kerouac recebeu uma educação católica e foi estudar na Universidade de Colúmbia. Ainda no Campus, conheceu Allen Ginsberg, também estudante e William Burroughs, formado em Harvard. Enfim os três se tornariam os principais representantes da geração beat.

Em 1947 Kerouac resolver que viajaria pelo mundo a fora e pegou a estrada. Por fim essa nova experiencia na sua vida, resultou que tornou-se amigos de vagabundos e assim viveu uma vida bem aventurada, bebendo muito como dizí. E Terminou o On The Road em 1951. Kerouac se destaca por suas longas frases, onde descarta o uso da pontuação.

Mas parece que gostava de ser sempre individual, dividindo seu apartamente com sua mãe, pintava quadros de imagens de Cristo tristes, a tv era sua fiel companheira, onde ficava horas vendo tv, era um grande conservador e muitos que seguiam alguns de seu exemplos, como Allen Ginsberg um poeta que se inspirava em kerouac, não sabia o porque, "Que influencia tenho eu??"

Escreveu vários romances, como “O Subterrâneo”, Desolate Angels”, “The town and the city”, etc.

Hoje a geração Beatnik tem muito a ver com nossa sociedade, ligada em blogs, sites, e textos, com liberdade de pensamento e a libertação da escrita informal. Foi a modernidade que floresceu e hoje temos um bom caminho de midia pela frente.

Priscila Faria.

3 comentários:

  1. Esse livro é de cabeceira. Clássico dos clássicos. E gostei muito quando disse que a liberdade de hoje tem ligação com isso - coisa que passa desapercebida pela maioria das pessoas.

    abç
    Pobresponja

    ResponderExcluir
  2. Não conheço esse livro.
    Ele me parece ser bom.
    Vou dar uma pequisada.
    Obrigado pela sugestão

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia e virei fã.

    obrigada pelas visitas e desculpe pelos comentarios apagados tá tendo um problema de html q ja resolvi.

    abraços

    ResponderExcluir