quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Ontem e a atualidade


Lendo um artigo numa revista, vi que hoje muitos querem ter uma vida cheia de "aventuras" e me vem a mente, hoje por mais que tentamos não conseguimos passar por uma historia assim, que poucos em alguns anos passados fizeram, ou que mesmo assim tentaram fazer.
Quem nunca pensou em viver viajando, sozinho, dependendo da natureza e daqueles que encontrava no meio do caminho.
Quantos de nos não nos damos bem com essa civilização, apesar de estarmos em uma era moderna, temos direitos de liberdade, mas e de expressao? Pode se dizer que muitos concluem que a liberdade de expressao hoje é absoluta, sendo que temos meios comunicativos que podemos tornar-se aquilo que não somos, mas e a realidade? É facil voce seguir uma moda sem ser taxado por algo, ou de voce seguir uma religiao que outros odeiam ou de ser aquela especie diferente da moda e do padrão da atualidade? A resposta surge por si só, vemos hoje que quando saimos na rua nos deparamos com olheiros, que observam e logo tem sua critica a questao de alguma coisa, assim como eu estou fazendo agora.
Quantos são aqueles que sentem raiva da civilização que vivemos, as mentalidades e materialismo que somos obrigados a conviver, como no inicio, antigamente poderiamos até faer grandes viagens, de carona em carona, seguindo estradas e vivendo de migalhas e pouco da agua da casa de alguem e hoje? Sera que podemos reviver tudo isso? visto que até então dois grandes aventureiros que li a respeito morreram ainda naqueles tempos e hoje?
Quando criança quem de nos ja não saiu por ai com uma mochila nas costa com bolachas e agua indo até a esquina e voltando logo em seguida, com medo de que algum estranho ou da surra em casa? Como alguns dizem é coisa de adolecente; o escambal! Quando vemos historias relacionadas a essas vemos que aqueles foram tão maduros e vivido.
Eu pessoalmente ja emprendi aventuras desse tipo, de tentar viver só, longe de todo mundo ou de tentar mudar alguma coisa a respeito da vida pouca que vivi. Mas jamais passei da minha realidade, jamais!
Inevitavelmente somos levados a essa decisão radical por as vezes não conseguir resolver aquilo que planejamos compartilhar.
Mas a solidão nos ensina que somos comuns e que cada cultura leva a caminhos diferentes em nosso ser.
Quando na solidão somos pertubados por uma necessidade de ser semelhantes, nem tanto de ser amigaveis, mas de apenas ter aproximação.  A felicidade de meus passeios anteriormente era a de compartilhar sentimentos em cada lugar, querendo ou não conhecia pessoas, seja aqui ou ali, seja por perguntar as horas ou de sentar em algum lugar, mas mesmo assim, aquilos que vivemos e que descobrimos acaba por ser nosso e o desejo de compartilhar, de mostrar aquilo que passamos se torna impossivel, ou para alguns inacreditavel.
Gostei muito de ter lido esse artigo, relembrei de um livro biografico que li ja faz algum tempo chamado "Na Natureza selvagem, mais conhecido por Into the wild" onde Chris diz em uma passagem em teu diario “Tive uma vida feliz, e agradeço ao Senhor. Adeus e que Deus vos abençoe a todos”

Abraços

Nenhum comentário:

Postar um comentário