quinta-feira, 31 de março de 2011

Pink Floyd: desvendando "The Wall"

Por Mairon e Micael Machado


The Wall é um dos mais famosos discos do Pink Floyd. Passados mais de 30 anos de seu lançamento, ele continua a atrair e cultivar uma enorme legião de fãs, bem como alguns detratores. Criado quase que totalmente por Roger Waters, baixista e vocalista do grupo, é um disco conceitual, embora seu conceito não seja facilmente assimilado nas primeiras audições.

Basicamente, envolve um rock star chamado Pink, o qual, devido ao uso de drogas e aos traumas pelo qual passou em sua vida, acaba criando um "muro" em seu cérebro que o isola do mundo real à sua volta. Mas na verdade, a estória vai um pouco além disso.

Animals: de sua turnê, surgiu The Wall
Antes de falarmos sobre o conceito do álbum, vamos discutir um pouco a respeito período musical vivido pelo Pink Floyd na época. Animals (1977), o disco anterior do grupo, foi o primeiro a ter apenas um compositor escrevendo a maioria de suas músicas, no caso, o próprio Waters, já que nos discos anteriores o trabalho de composição era dividido entre Waters, o guitarrista/vocalista David Gilmour e o tecladista/vocalista Rick Wright. Nick Mason (bateria) dificilmente participava do processo de composição.

Pois em Animals Waters assumiu a dianteira, e teve a participação de Gilmour como parceiro apenas na canção "Dogs". Todo o resto do disco, baseado na obra A Revolução dos Bichos, de George Orwell, foi escrito e cantado pelo baixista, que cada vez mais assumia o papel de líder da banda, causando desgosto aos demais membros.

Durante a turnê para o álbum, a unidade do grupo foi se desfazendo. Problemas entre os músicos e entre a banda e seu management (o grupo descobriu que estava praticamente falido devido a investimentos financeiros equivocados feitos por seus empresários) quase levaram o grupo à dissolução. Mas o contrato com a poderosa EMI exigia ao menos mais um disco. Sendo assim, ao final da turnê, o Pink Floyd se separou, e, embora desejando que fosse em definitivo, os integrantes sabiam que as questões financeiras e o compromisso com a EMI os fariam retornar em breve.

Nesse período, Wright lançou Wet Dream (1978) e Gilmour lançou About Face (1978). Os dois álbuns solo não atingiram nenhum sucesso comercial, e então, quando os membros novamente se reuniram, tanto Gilmour quanto Wright não possuiam composições suficientes para apresentar visando o novo disco, já que haviam gastado os cartuchos nos álbuns citados. Assim, tiveram de aceitar o que Waters havia feito, com Gilmour ainda conseguindo colocar duas canções que ficaram de fora de seu disco no meio do processo

Rick Wright, Roger Waters, David Gilmour e Nick Mason durante a "The Wall Tour"

CONTINUA

Nenhum comentário:

Postar um comentário