quarta-feira, 25 de maio de 2011

Bilhete

Sinto falta de seus bilhetes
sob um papel gasto e amarelado
marcado por uma caneta falha
e dos textos sordidos
difundidos em bons versos de saudades
das cores pretas da tinta falha da caneta estourada.
Sinto falta de guarda-los
junto dos outros bilhetes na gaveta da penteadeira
sinto falta de amassa-lo
e ouvir um barulho de criança
faz-me lembrar dos bombons que deixava junto com o bilhete
Lembrar uma arte de ser entristecer.

Pensei que bilhetes nao eram mais escritos
como sempre foram
não vejo mais os versos
nem um ar de poeta
nem mesmo um bombom junto dele
mas a verdade é que não há mais quem escreva
Os versos secaram
Os poetas acabaram
E os bombons eu comi todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário