domingo, 15 de maio de 2011

Poema de Mario Benedetti


AMOR DE TARDE
(Mario Benedetti)

É uma pena você não estar comigo
quando olho o relógio e já são quatro
e termino a planilha e penso dez minutos
e estico as pernas como todas as tardes
e faço assim com os ombros para relaxar as costas
e estalo os dedos e arranco mentiras.

É uma pena você não estar comigo
quando olho o relógio e já são cinco
e eu sou uma manivela que calcula juros
ou duas mãos que pulam sobre quarenta teclas
ou um ouvido que escuta como ladra o telefone
ou um tipo que faz números e lhes arranca verdades.

É uma pena você não estar comigo
quando olho o relógio e já são seis.
Você podia chegar de repente
e dizer "e aí?" e ficaríamos
eu com a mancha vermelha dos seus lábios
você com o risco azul do meu carbono.


No livro Antologia Poética, editado no Brasil pela Record em 1988, traduzido por Julio Luís Gehlen. Poemas de la oficina, de Benedetti. Meses lendo livros sobre esse mestre uruguaio cada vez mais me identifico com a escrita portenha. Comprei o livro em Buenos Aires na minha breve passagem por la. Falando em literatura latina, nunca pensei que ler livros argentinos e uruguaios fossem um tanto diferentes, muitos dizem que os argentinos tem uma escrita mais amorosa e dramatica do que os uruguaios, mas realmente ha aspectos diferentes. Não é como ler livros de escritores brasileiros, muito menos tentar comparar a mestria dos latinos. E agora eu posso dizer que realmente em outros ares existe uma literatura diferente e infinita como ja dizia Machado.

2 comentários:

  1. Não sei se em sua passagem como voce cita breve, em Buenos Aires teve a oportunidade de conhecer o El Ateneo, há uma parte onde conta detalhadamente a historia de Benedetti. Realmente a literatura porteña é diferente da nossa e até mais gostosa de se ler.

    Sempre que passo neste blog me surpreendo com as materias, não costumo comentar, mas sempre leio. Parabens moças!

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente eu não conseguir conhecer quase nada, apenas uma breve passagem mesmo, mas quando voltar la o segundo local que vou conhecer é o Ateneo, simplesmente a maior e melhor livraria do mundo. Obrigada pela sugestão e pelos elogios ao blog.
    abraços.
    Priscila

    ResponderExcluir